Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade

Orgasmo Clitoriano X Orgasmo Vaginal - Parte 2

Articles / Relacionamento
Date: Dec 26, 2006 - 08:30 AM

Por Anne Griza
Psicóloga e Sexóloga

O prazer do orgasmo clitoriano não é menor que o do orgasmo vaginal. Não se pode pensar em melhor ou pior em termos de sexualidade. Muitas vezes, mesmo sem o orgasmo, a excitação e o prazer podem ser suficientes para uma boa vida sexual. Mais importante do que o orgasmo é a troca que os parceiros fazem durante o ato sexual, o afeto compartilhado e a confiança um no outro.



Além desta troca, é importante que a mulher conheça seu corpo, suas possibilidades e limites. Possibilidades em termos de capacidade de relaxar, de se concentrar, de trocar, de quanto pode ser o afeto pelo parceiro; e limites remetem à idéia de que o orgasmo vai acontecendo na medida em que a mulher conhece seu corpo e sabe o que fazer com ele na hora do sexo. Dificilmente uma mulher obterá um orgasmo vaginal sem antes estar segura de sua sexualidade.

O orgasmo feminino está longe de ser um assunto simples de se entender. Para ele dependem múltiplos fatores como: desenvolvimento da sexualidade, afeto, auto-estima, segurança no parceiro, entre outros. Sabe-se, além disso, que somente cerca de um quarto da população feminina mundial tem um orgasmo na vida. Esse já é fato de busca frenética por orgasmos, que pode levar ao fracasso, pela ansiedade gerada.

Essa ansiedade pode atrapalhar a troca com o parceiro, e impedir que a relação sexual se desenvolva de forma harmoniosa, fazendo com que a mulher, muitas vezes, não atinja o orgasmo. É um círculo vicioso, que tende a gerar cada vez mais fracassos e cada vez mais angústias para a mulher.

Não é preciso que uma mulher, que não tem orgasmos vaginais, se sinta ameaçada ou diminuída em sua sexualidade. A sensação de prazer é que é importante e, tanto o orgasmo clitoriano quanto o vaginal são prazerosos e saudáveis. Cabe lembrar que a maioria das mulheres têm orgasmos clitorianos, por estes serem mais fáceis de serem obtidos, tanto na masturbação quanto na relação sexual.

Após a liberação sexual, da mulher passou-se a exigir orgasmos. Ela teve que passar da condição de participante passiva na relação sexual para a posição ativa. Do sexo para reprodução ela passou a experimentar sexo por prazer. Sexo para reprodução é instintivo, basta que aconteça o encontro de um corpo masculino e um feminino e aconteça a cópula. Não é necessário que a mulher sinta prazer ou deseje seu parceiro. Ela sequer precisa se movimentar.

Já o sexo por prazer, envolve desejo, tesão, trocas, participar ativamente para dar e receber prazer. E as mulheres precisaram aprender a fazer isso, só que, não acostumadas ao seu corpo, muitas vezes não atingem aquilo que lhes é exigido.

O orgasmo não é uma obrigação feminina. Ele é buscado na masturbação ou na relação sexual. Para obtê-lo, é necessário aprendizagem e autoconhecimento, que se adquirem ao longo da vida e das experiências sexuais de cada uma. Ter um orgasmo vaginal ou clitoriano não é melhor ou pior, não significa problemas ou saúde sexual. Ambos são muito prazerosos e podem ser obtidos em diferentes fases da vida, com diferentes parceiros, em situações diversas. Sentir o orgasmo e aproveitar o prazer proporcionado por ele é o mais importante.




This article comes from Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade
http://saudesexual.com/

The URL for this story is:
http://saudesexual.com/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=111