Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade

Sexo na pessoa idosa-parte 1

Articles / Comportamento
Date: Sep 13, 2005 - 11:04 AM

Por Adriana Sommer da Costa
Psicóloga e Sexóloga

Toda a vez que vamos falar de sexo, imaginamos duas pessoas jovens, e não adianta dizer que não, pois é assim mesmo que pensamos a sexualidade, o sexo. Sempre nos vêm a mente um casal de pessoas com idade jovem. É bem difícil, visualizarmos um casal de velhos quando nos referimos ao sexo. Mas e porque será que isso acontece? A final de contas, ficar velho significa ausência de sexualidade, de fazer sexo?

Esse artigo pretende explicitar um pouco sobre esse assunto, o sexo na velhice, que além de não ter muito espaço, quase nenhum, ainda sofre com a negligência da nossa sociedade, que sempre foge do assunto, evita aborda-lo. Isso só acarreta em desinformação para com as pessoas envolvidas. Os próprios médicos evitam falar de sexualidade com seus pacientes idosos, o que dificulta qualquer possibilidade de diálogo (principalmente com aquele paciente idoso, que tem curiosidade sobre sua vida sexual) com seu médico.

Os indivíduos variam entre si, em todo seu contexto biopsicosocial, e isso não é nenhuma novidade , com o passar do tempo, fatores de nosso ciclo vital também se alteram, e a sexualidade, como foco de nossa existência, também irá sofrer suas particularidades com o passar dos anos.

Não resta duvidas de que a responsividade sexual decresce com o envelhecimento, mas não desaparece, como muitas pessoas pensam. E, depois, se os níveis elevados de atividade sexual são mantidos desde cedo, não havendo, claro, nenhuma incapacidade física aguda ou crônica intervindo, os idosos podem e são capazes sim de continuarem alguma forma de expressão sexual ativa até os 70 e mesmo aos 80 anos, e porque não o teriam? Mesmo que a atividade sexual tenha sido evitada por logos períodos de tempo, o importante, é que haja uma estimulação adequada.

A responsividade sexual se torna arbitrária, definindo-se em alguns termos clínicos, como:

  • níveis de tensão sexual;
  • capacidade de estabelecer conexão coital;
  • capacidade de terminar o coito com ejaculação;
  • história corrente de masturbação ou de masturbação e de emissão noturna.

Existe uma grande diferença entre os padrões de resposta do homem de meia idade, (que inclui a faixa etária de 41 -60 anos) e daqueles que já passaram dos 60 anos. Daí, a diferença, que se reflete neste homem pela perda dos níveis mantidos de tensão sexual e da reduzida intensidade reativa durante a expressão sexual.

A capacidade e o desempenho sexual da pessoa idosa são influenciados diretamente por alguma enfermidade aguda ou crônica, assim como pela própria involução fisiológica geral de todo o corpo. Porém, é bem possível, que a maior influencia na resposta sexual da pessoa idosa, seja inerente ao ambiente sociosexual do qual viveu esta pessoa durante toda sua formação sexual.

Algumas condições físicas e até mesmo influencias psíquicas recaem sobre a resposta sexual na pessoa idosa, de maneira progressiva, mas é preciso ter um bom entendimento dinâmico pois todo esse conjunto de influencias e condições implicam na compreensão e no tratamento dos problemas da sexualidade geriátrica.

Eis aqui cinco categorias, que exercem forte influencia na resposta sexual do idoso:

  • monotonia de uma relação sexual repetida (traduzida em cansaço do companheiro)
  • preocupação com atividades profissionais ou econômicas
  • fadiga mental ou física
  • enfermidade física ou mental de um dos cônjuges
  • medo do desempenho associado ou resultante de qualquer categoria.

Na segunda parte desse artigo, cada categoria será mais bem explicada,para um amplo e melhor conhecimento das possíveis causas que diminuem a responsividade sexual na pessoa idosa.




This article comes from Saúde Sexual - Informações sobre sexo e sexualidade
http://saudesexual.com/

The URL for this story is:
http://saudesexual.com/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=66